25 de mai de 2009

O MUNDO DAS APARÊNCIAS

Isaías 53:2 Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.

Vivemos em um mundo de aparências. Sendo assim o belo agrada aos olhos, e o erro, se for do belo, muitas vezes passa desapercebido.
Uma sociedade capitalista, que se preocupa mais com o ter do que com o ser, se mistura ao mundo das aparências que se preocupa muito com o ser (belo, bonita, malhado, gostosa, etc).
Tal qual o texto de Isaías, vivemos de uma forma bem semelhante, muitas vezes não há beleza que nos agrade e não há nada que possamos desejar. A mídia é a maior rede de influências para nos "marcar" com o erro de que o belo tem mais valor. Não se vê, por exemplo, atores e atrizes feios, as tecnologia e as maravilhas da cirurgia plástica não permitem mais que as pessoas, pelo menos as que têm dinheiro, fiquem feias. O corpo é valorizado e alma deixada de lado.
Mas será que foi isso que Jesus nos ensinou? Amar ao próximo não é passar por cima de orgulho e do preconceito? Amar ao próximo não é amar como Jesus amou? Jesus foi o único que consegui enxergar as pessoas como elas realmente são, pois ele olhava direto para o coração das pessoas. Quando fechamos os olhos será que conseguimos enxergar as pessoas como Jesus enxergava e enxerga até hoje? Será que somente o belo tem o direito de ser aceito e amado pelas pessoas?
Um ótimo exemplo desse preconceito em relação à aparência é o que sofreu Susan Boyle, aquela "desajeitada" que participou do programa "British Idol" , na Inglaterra, programa este que procura talentos para a música, assim como o ídolos aqui no Brasil. Não havia nela nada naquela mulher que os jurados pudessem desejar, mas a hora que a mulher abriu a boca ela calou a boca do mundo das aparência mostrando um talento SURPREENDENTE.
Que possamos aprender, primeiramente com Jesus, que não rejeitou nem uma pessoa que o procurou, desde o mais miserável leproso, até os doutos da lei e cobradores de impostos, e também aprender com Susan Boyle, de não ter medo de enfrentar as "feras" que se preocupam com as aparências.
O mundo está ai e para não sermos devorados por ele devemos sair da nossas "jaulas" e enfrentá-lo. O feio não existe, existe o preconceito e devemos evitá-lo e enfrentá-lo, devemos vencê-lo amando pessoas como elas são.
Em Cristo
João Henrique R. Marçal
Bacharel em Teologia

Um comentário:

  1. Belo texto, João Marçal! Gugu, meu caro amigo, forte abraço, até logo!

    ResponderExcluir